Terça-feira, 21 de Março de 2006

Poemas: José Luís Martins

Não sou Poeta
Não sou poeta nem nunca
poderei ser
Apenas digo o que sinto
não minto
Não sou poeta
pois não articulo palavras cativantes
só digo lugares comuns que
se desvanecem ao primeiro confronto
Não sou poeta com grande
pena minha
porque amo as palavras belas
não sendo retribuido por elas.
O condão de brincar com as palavras
não herdei
Penso apenas no que poderia
dizer se a tal felicidade
podesse aceder
Não minto
digo o que sinto
José Luis Martins
publicado por Equipa SAPO às 18:00
link do post | favorito
|
1 comentário:
De Alex a 21 de Março de 2006 às 21:03
Pelo menos começa logo por dizer que não é poeta, o que já não é mau (mas então, porque escreve em verso?). Não mente, diz o que sente: para um bom poema, muitas vezes mais vale o inverso.


Comentar post

.Uma página do

.pesquisar

 

.Julho 2012

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


.posts recentes

. Revista ler

. Afinal, o que importa não...

. Poemas: Auros Fontes

. Poemas: Virgínia Gomes

. Poemas: Naia Marques

. Poemas: Filipe M.

. Poemas: Dias Miguel

. Poemas (Anónimo)

. Poemas: Luisabela Coutinh...

. Mais poemas amanhã

.arquivos

. Julho 2012

. Março 2006

.tags

. todas as tags

.favorito

. Aqui Vamos Nós

. Calendário de desfiles

.Links: poesia do séc. XX

.participar

. participe neste blog

blogs SAPO

.subscrever feeds