Terça-feira, 21 de Março de 2006

Poemas: Francisco Salgado

As palavras deste Mundo

São tantas as palavras deste Mundo

Tantas… que as não posso apanhar

São notícias, são anúncios, são livros e jornais

Tantas outras coisas mais

Que eu e ninguém as pode parar.

Mas se num instante de um segundo

Suspendessem todas as palavras deste Mundo

Eu seria gente, eu seria luz a brilhar

Porque nesse instante de um segundo

Todos me estariam a escutar.

F. Salgado
publicado por Equipa SAPO às 17:57
link do post | favorito
|
1 comentário:
De Alex a 21 de Março de 2006 às 21:06
'Que eu e ninguém as pode parar' é uma construç\ao de frase errada. E não é sequer liberdade poética.


Comentar post

.Uma página do

.pesquisar

 

.Julho 2012

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


.posts recentes

. Revista ler

. Afinal, o que importa não...

. Poemas: Auros Fontes

. Poemas: Virgínia Gomes

. Poemas: Naia Marques

. Poemas: Filipe M.

. Poemas: Dias Miguel

. Poemas (Anónimo)

. Poemas: Luisabela Coutinh...

. Mais poemas amanhã

.arquivos

. Julho 2012

. Março 2006

.tags

. todas as tags

.favorito

. Aqui Vamos Nós

. Calendário de desfiles

.Links: poesia do séc. XX

.participar

. participe neste blog

blogs SAPO

.subscrever feeds